Dia Mundial sem Tabaco (31/05)

Dia Mundial sem Tabaco (31/05)

Mensagem do Secretário-Geral para o Mundial Sem Tabaco em 31 de maio de 2012.

“Este ano, o Dia Mundial sem Tabaco chega num momento em que a indústria do tabaco está tomando medidas cada vez mais agressivas para minar os esforços para reduzir a ameaça global do tabaco. Enquanto os governos e a comunidade internacional de saúde buscam implementar medidas efetivas para coibir o consumo de tabaco e proteger a saúde das pessoas, estas medidas enfrentam a oposição agressiva de uma indústria cujos produtos causam a morte.

O tabaco mata causando câncer, doenças cardíacas e doenças respiratórias. É um dos fatores de risco evitáveis de doenças não transmissíveis. Todos os anos morrem cerca de 5 milhões de pessoas por consumo de tabaco. Outras 600.000 pessoas morrem de exposição ao fumo passivo.

O consumo de tabaco tem enormes ramificações perniciosas. Impede o desenvolvimento e agrava a pobreza. O tabaco e a pobreza formam um círculo vicioso, uma vez que os pobres são quem mais fumam e arcam com o ônus econômico e de saúde imposta pelo consumo do tabaco. O dinheiro gasto em tabaco não pode ser usado para pagar os cuidados de alimentação, educação ou saúde. E onde está crescendo mais rápido o consumo de tabaco é nos países de baixa renda, que são os menos capazes de lidar com suas consequências.

O mundo tem criado instrumentos eficazes para combater o consumo de tabaco e a indústria do tabaco, para evitar a diluição de políticas públicas de saúde. A Convenção-Quadro da Organização Mundial da Saúde de Controle do Tabaco, que tem 174 Partes, se tornou um dos tratados de mais rápida adoção na história das Nações Unidas após a sua entrada em vigor em 2005. Na declaração política aprovada no ano passado na Reunião de Alto Nível sobre DSTs, a comunidade internacional reiterou a sua determinação de reduzir o uso e a disponibilidade de tabaco.

Controlar o uso do tabaco é essencial para alcançar nossos objetivos de desenvolvimento global. Se não intensificamos nossos esforços neste sentido, o tabaco poderia matar até 1.000 milhões de pessoas neste século. Os interesses da indústria de tabaco e saúde pública estão diretamente opostas. Desde a entrada em vigor da Convenção-Quadro, a indústria do tabaco tem sofrido oposição às medidas de proteção sem qualquer consideração com a saúde da população. Mas estamos fazendo progressos: alguns países têm reduzido o consumo em até 25%, dentro de três anos de implementação de medidas de controle fortes de tabaco, em consonância com a Convenção-Quadro.

Neste Dia Mundial sem Tabaco, exorto todos os governos e a sociedade civil para impedir que a indústria do tabaco frustre a aplicação da Convenção-Quadro. Resistiremos à ofensiva da indústria e avançaremos com o nosso ideal de um mundo livre de tabaco.”
Ban Ki-moon

Anúncios
Dia de Vesak (05/05)

Dia de Vesak (05/05)

“Vesak”, o Dia de Lua Cheia de Maio, é o dia mais sagrado para milhões de budistas em todo o mundo.

Foi no dia de Vesak 2.500 anos atrás, mais precisamente em 623 a.C, que o Buda nasceu. Além disso, foi também neste dia de Vesak que Buda alcançou a iluminação e foi também no dia de Vesak, que ele morreu aos 80 anos de idade.

A Assembleia Geral da ONU em sua resolução 54/115, de 1999, reconhece que o dia de lua cheia de Maio de cada ano é o dia mais sagrado para os budistas, que comemoram nessa data o nascimento de Buda, sua iluminação e seu trânsito e acredita que o reconhecimento internacional na sede das Nações Unidas e outros escritórios da ONU é uma homenagem à contribuição que o budismo, uma das mais antigas religiões do mundo, realiza há mais de dois milênios e meio para a espiritualidade da humanidade. O dia de Vesak é comemorado anualmente na sede das Nações Unidas e de outros escritórios, em consulta com os escritórios pertinentes das Nações Unidas e com as missões permanentes.

Histórico

Os ensinamentos de Buda e sua mensagem de paz, compaixão e boa vontade têm tocado os corações de milhões. Milhões de pessoas seguem os ensinamentos de Buda no mundo e no Dia de Vesak comemoram seu nascimento, sua realização da iluminação e sua morte.

Em uma mensagem do ex-secretário-geral, Javier Perez de Cuellar, dirigida ao Dia de Vesak budista em Maio de 1986, afirmou que:

“Para os budistas de todo o mundo é, sem dúvida, uma ocasião cheia de felicidade, para comemorar o nascimento, iluminação e morte de Gautama Buddha. Nesse dia importante comemora-se a sua mensagem de devoção, compaixão e serviço à humanidade. É possível que essa mensagem hoje continue mais válida do que nunca.

Compreensão, a paz e a visão da humanidade que transcende as diferenças nacionais e internacionais são essenciais para lidar com a complexidade da era nuclear.

Esta filosofia é o espírito que anima a Carta das Nações Unidas e deve estar sempre presente em todos os nossos pensamentos, especialmente durante o Ano Internacional da Paz. [A/54/235].”

Mensagem do Secretário-Geral para o Dia de Vesak

05 de maio de 2012

“Este ano comemoramos o Dia do Vesak num momento em que a comunidade internacional começa os preparativos finais para a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável a ser realizada no Rio de Janeiro, uma oportunidade única para fazer com que o mundo adentre num caminho de desenvolvimento mais equitativo e sustentável.

O budismo tem muito a dizer nesse processo. A afirmação de Buda de que “para transformar o mundo, devemos mudar a natureza do homem” oferece uma perspectiva crítica sobre como podemos melhorar as condições de nosso planeta e seus habitantes.

O espírito de garantir não só para nós, mas para os outros, cientes de que nossos destinos estão interligados é a base do budismo e do fato de todas as grandes religiões do mundo.

Esses ensinamentos são um desafio para as famílias, comunidades e nações que devem agir em conjunto em prol do bem comum. Essa é a melhor maneira de assegurar o progresso individual e coletiva em um mundo interdependente.

Também devemos deixar de lado as velhas suposições e abrir a mente para novas ideias e soluções possíveis, para sermos capazes de responder às principais ameaças que o mundo enfrenta, da proliferação de armas mortais à intolerância e à desigualdade.

Convido budistas e pessoas de todas as tradições, neste Dia de Vesak, para refletir sobre como podemos mudar nosso comportamento para abrir a porta para um futuro mais sustentável.”

Ban Ki-moon

Link Oficial

http://www.un.org/es/events/vesakday/index.shtml

Assuntos Globais: Africa

Assuntos Globais: Africa

No final da Segunda Guerra Mundial, em 1945, quase todos os países na África estavam sujeitos a dominação colonial ou administração. Com a fundação da ONU em 1945 e seu esforço de descolonização massiva, a África é independente. Hoje, a União Africana tem 53 Estados membros independentes.

Esta África recém-autônoma enfrenta enormes desafios, incluindo a pobreza extrema, a doença, a desertificação, a desnutrição e tributos terríveis por causa dos conflitos regionais em curso. Foi uma luta longa e difícil. E, como bons vizinhos, a comunidade mundial está lá para ajudar.

Através de suas capacidades únicas como primeiro veículo mundial para a cooperação internacional, o sistema das Nações Unidas desempenha um papel crucial na coordenação da assistência de todos os tipos – para ajudar a África a se ajudar. Promover o desenvolvimento das instituições democráticas, estabelecer a paz entre as nações em guerra, a ONU está presente no terreno apoiando o desenvolvimento econômico e social e a promoção e proteção dos direitos humanos.

Neste esforço, a ONU trabalha em estreita colaboração com os mecanismos regionais de cooperação da África e tem seis operações de paz ativas nesse momento. As tropas da ONU servem em duas missões no Sudão, incluindo uma em Darfur (com a União Africana), na Costa do Marfim, Libéria, República Democrática do Congo, e Saara Ocidental.

Para avançar o seu apoio à África ainda mais, o Escritório das Nações Unidas do Assessor Especial para a África foi criado em 2003 para reforçar o apoio internacional para o desenvolvimento africano e a segurança e melhorar a coordenação de suporte do sistema das Nações Unidas. Ele também trabalha para facilitar deliberações globais em África, particularmente no que diz respeito à Nova Parceria para o Desenvolvimento de África – um quadro estratégico adotado pelos líderes africanos em 2001.

Dia da África é uma comemoração da criação da Organização de Unidade Africano (OUA) em 25 de maio de 1963. Naquele dia 32 estados independentes africanos assinaram a carta de fundação, em Addis Abeba, Etiópia. Em 2002, a OUA tornou-se a União Africana. O Dia da África é comemorado em todo o mundo.

Link Oficial:

http://www.un.org/en/globalissues/africa/index.shtml

Assuntos Globais: Envelhecimento

Assuntos Globais: Envelhecimento

O mundo está no meio de um processo irreversível e único de transição demográfica que irá resultar em populações mais velhas em todos os lugares. Com o declínio das taxas de fertilidade, espera-se que a proporção de pessoas com 60 anos ou mais irá dobrar entre 2007 e 2050 e o número real vai mais que triplicar, atingindo 2.000 milhões em 2050. Na maioria dos países, o número de pessoas com mais de 80 anos poderia quadruplicar para cerca de 400 milhões.

Cada vez mais, considera-se que os idosos contribuam para o desenvolvimento e sua capacidade de agir para melhorar a si mesmos e suas sociedades deve se traduzir em políticas e programas em todos os níveis. Atualmente, 64 por cento dos idosos vivem em áreas menos desenvolvidas e este número deve chegar a 80 por cento em 2050.

Para começar a resolver estas questões, a Assembleia Geral convocou a primeira Assembleia Mundial sobre Envelhecimento, em 1982, que produziu o “Plano de Ação Internacional de Viena sobre o Envelhecimento, com base em 62 pontos.” Este plano prevê ação específica em questões como saúde e nutrição, proteção dos consumidores idosos, habitação e meio ambiente, família, assistência social, segurança de renda e emprego, educação e coleta e análise de dados provenientes de pesquisas.

Em 1991, a Assembleia Geral adotou os Princípios das Nações Unidas para Pessoas Idosas, que listou 18 direitos das pessoas idosas para a independência, participação, assistência, auto-realização e dignidade. No ano seguinte, foi realizada a Conferência Internacional sobre Envelhecimento para continuar a implementar o Plano de Ação, aprovou-se a Proclamação sobre o Envelhecimento. Seguindo a recomendação da Conferência, a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou 1999 como o Ano Internacional das Pessoas Idosas.

A ação sobre o envelhecimento continuou em 2002 com a convocação em Madri da Segunda Assembleia Mundial sobre o Envelhecimento. Com o objetivo de elaborar uma política de envelhecimento para o século XXI, aprovou-se uma Declaração Política e um Plano de Ação Internacional sobre o Envelhecimento. O chamado Plano de Ação para mudanças de atitudes, políticas e práticas em todos os níveis para promover o enorme potencial de envelhecimento no século XXI. As recomendações específicas para a ação dá prioridade às pessoas idosas e desenvolvimento, promovendo saúde e bem-estar na velhice e garantindo capacitação e ambientes propícios para apoio.

Relacionado
As Nações Unidas e as Pessoas de Idade
Dia Internacional das Pessoas Idosas – 1 de Outubro

Link Oficial:

http://www.un.org/es/globalissues/ageing/index.shtml

Dia Internacional da Mãe Terra (22/04)

Dia Internacional da Mãe Terra (22/04)

A Mãe Terra é uma expressão comum usada para se referir ao planeta Terra em vários países e regiões, demonstrando a interdependência entre os seres humanos, outras espécies vivas do planeta e o planeta que habitamos. Por exemplo, na Bolívia a chamam de “Pacha Mama” e os nossos antepassados na Nicarágua se referiam a ela como “Tonantzin.”

A proclamação de 22 de abril como o Dia Internacional da Mãe Terra é um reconhecimento de que a Terra e seus ecossistemas fornecem-nos as vidas e o sustento de toda a nossa existência. Isso também significa reconhecer nossa responsabilidade, conforme estabelecido na Declaração do Rio de 1992, para promover a harmonia com a natureza e a Terra para alcançar um justo equilíbrio entre as necessidades econômicas, sociais e ambientais das gerações presentes e futuras.

Este ano, em junho, os líderes mundiais se reúnem na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio +20). As negociações vão se concentrar em duas questões principais: como construir uma economia verde para alcançar o desenvolvimento sustentável e tirar as pessoas da pobreza e como melhorar a coordenação internacional para alcançar o desenvolvimento sustentável.

Histórico

O mundo tem se mostrado lento para responder às emergências geradas pelo aquecimento global e os danos que nosso descuido está causando ao nosso planeta. Em 1972, quando os ambientalistas eram considerados um grupo marginal, se realizou em Estocolmo a primeira Conferência das Nações Unidas sobre o Ambiente Humano. Isso representou o início de um processo de conscientização global sobre a interdependência entre os seres humanos, outras espécies vivas e nosso planeta.

O Dia Internacional da Mãe Terra promove uma visão do planeta como a entidade que sustenta todas as coisas que vivem na natureza. Especificamente honra à Terra como um todo e o nosso lugar nela. O Dia Internacional da Mãe Terra não se destina a substituir outros eventos como o Dia da Terra que é comemorado em muitos países desde a década de setenta, mas reforçar e reinterpretam com base nos desafios que enfrentamos.

Em 2009, em sua oitava sessão, o Fórum Permanente sobre Questões Indígenas solicitou aos relatores especiais prepararem um estudo sobre a implementação da resolução 63/278 da Assembleia Geral, tendo em conta, designadamente, a necessidade de respeitar e reconhecer os direitos da Mãe Terra. Na sua nona sessão, o Fórum Permanente sobre Questões Indígenas discutiu os resultados de estudo e trabalho para o estabelecimento de uma Declaração sobre os Direitos da Mãe Terra.

Mensagem do Secretário-Geral em Homenagem ao Dia Internacional da Mãe Terra 2012

“A celebração anual do Dia Internacional da Mãe Terra homenageia o nosso planeta, o único que dispomos, e o lugar que os seres humanos ocupam nele. Também se concebe como uma chamada à ação contra comportamentos humanos que não respeitam os recursos naturais e ecossistemas que suportam a vida.

Em apenas dois meses, o mundo se reunirá no Rio de Janeiro para a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável. O primeiro Encontro da Terra, realizada em 1992, legou grandes convenções juridicamente vinculativas, um plano de trabalho de longo alcance que se concretizou na Agenda 21, o marco e o conceito de desenvolvimento sustentável. A Rio +20 apresenta uma oportunidade que chega no melhor momento para empreender uma mudança semelhante,  que nos leve a um novo paradigma que é tão necessário, e a renovar os compromissos com as medidas de execução.

Nos próximos vinte anos o mundo precisará de pelo menos 50% mais alimentos …45% mais energia… 30% mais água … e milhões de novos empregos. Nosso desafio na Rio +20, e além, é adotar uma abordagem holística e integrada em relação a esses problemas entrelaçados – uma abordagem que se concentra nas inter-relações para que as soluções para um problema resultem em progresso em todos eles.

Nós temos escolhas difíceis pela frente, mas necessárias. Temos que obter um resultado que é prático e capaz de gerar transformações. Usamos a Rio +20 para promover um maior respeito pela natureza e a criação de um ambiente natural e social em que todas as crianças se sintam seguras e todas as pessoas possam prosperar. A Mãe Terra pertence a todos; A Rio +20 é uma dessas oportunidades que só se apresentam uma vez a cada geração e todos devemos aproveitar.”

Ban Ki-moon

Link Oficial

http://www.un.org/es/events/motherearthday/index.shtml

Primeiro Dia Internacional do Jazz (30/04)

Primeiro Dia Internacional do Jazz (30/04)

Em novembro de 2011, a Conferência Geral da Unesco proclamou 30 de abril como o primeiro “Dia Internacional de Jazz”. O Dia serve para sensibilizar a comunidade internacional das virtudes do jazz como uma ferramenta educacional e uma força de paz, unidade, diálogo e cooperação reforçada entre as pessoas. Muitos governos, organizações da sociedade civil, instituições educacionais, privadas e cidadãos engajados atualmente na divulgação da música jazz vão abraçar a maior oportunidade de promover a valorização não só da música, mas também a contribuição que pode prestar para a construção de sociedades mais inclusivas.

Por que o Dia Internacional do Jazz?

  • O Jazz quebra as barreiras e cria oportunidades para a compreensão mútua e a tolerância;
  • O Jazz é um vetor de liberdade de expressão;
  • O Jazz é um símbolo de unidade e de paz;
  • O Jazz reduz às tensões entre Indivíduos, grupos e comunidades;
  • O Jazz promove Igualdade de Gênero;
  • O Jazz reforça o papel da juventude na transformação social;
  • O Jazz incentiva a inovação artística, a improvisação, novas formas de expressão, e a inclusão de formas musicais tradicionais em novas;
  • O Jazz instimula o diálogo intercultural e dá poder aos jovens marginalizados de sociedades marginalizadas.

Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional de Jazz em 30 de abril de 2012

“Martin Luther King Jr. disse certa vez que o “Jazz fala para a vida.” Este é o espírito do primeiro Dia Internacional do Jazz.

O Jazz tem desafiado quase todas as tentativas de definição. O crítico musical John Fordham pode ter capturado o melhor quando descreveu a música de Miles Davis como “o som da batida do coração, a respiração ofegante, o sorriso súbito.”

O Jazz é a música de criatividade sem limites. Composição de mistura e improvisação, formal e informal em si mesmo, ele se renova cada vez que é tocado. Nascido nos Estados Unidos, o jazz pertence ao mundo. Enraizado nas tradições africanas e desenhado em formas musicais europeias, tomou novas formas em culturas de todo o mundo. O Jazz aproveita ao máximo a diversidade do mundo, facilmente atravessa as fronteiras e aproxima as pessoas.

O Jazz tem sido uma força para a transformação social positiva ao longo de sua história, e permanece assim até hoje. É por isso que a UNESCO criou o Dia Internacional do Jazz. Com raízes na escravidão, essa música tem uma voz apaixonada levantada contra todas as formas de opressão. Ela fala uma linguagem de liberdade que é significativa para todas as culturas. Os mesmos são os guias da UNESCO nos esforços para construir pontes de diálogo e compreensão entre todas as culturas e sociedades. Trabalhamos com os governos e as sociedades e também com artistas, incluindo Herbie Hancock, Embaixadora da Boa Vontade da UNESCO. Promover o máximo da diversidade cultural é uma tarefa que todos nós compartilhamos.

É por isso que este Primeiro Dia Internacional do Jazz será comemorado com shows em todo o mundo, a partir de Muscat para Moscou, Yerevan à Havana, Paris e Nova York e Nova Orleans. Cada um destes concertos vai mostrar o poder do jazz para melhorar a dignidade humana, respeito e paz. Cada um é o momento de compartilhar as maravilhas que vêm com o som da batida do coração que pula, a respiração ofegante, o sorriso súbito.

O Jazz conecta pessoas, culturas e o mundo. Esta é a nossa mensagem.”

Irina Bokova

Link Oficial:

http://www.un.org/en/events/jazzday/unescomessage_2012.shtml

Dia Mundial da Liberdade de Imprensa (03/05)

Dia Mundial da Liberdade de Imprensa (03/05)

A liberdade de expressão é um direito humano básico estabelecido no artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos Humanos:

“Toda pessoa tem direito à liberdade de opinião e de expressão; este direito inclui a liberdade de ter opiniões sem interferência e a buscar, receber e difundir informações por quaisquer meios e independentemente de qualquer fronteira.”

A liberdade de imprensa e o acesso às informações se enquadram no objetivo mais vasto do desenvolvimento de capacitar as pessoas. A capacitação é um processo multi-dimensional social e político que ajuda às pessoas a ganhar controle sobre suas próprias vidas. Isso só pode ser alcançado através do acesso a informações precisas, justas e imparciais, representando uma pluralidade de opiniões, e os meios de comunicação verticalmente e horizontalmente ativos, participando assim na vida ativa da comunidade.
No entanto, a fim de tornar a liberdade de expressão uma realidade, deve-se alcançar um:

  • Ambiente jurídico e regulamentar que permita emergia uma indústria de mídia aberta e pluralista;
  • A vontade política para apoiar o setor e o Estado de direito para protegê-la;
  • Garantir o acesso às Leis de informação, especialmente as informação de domínio público,
  • Competência da leitura midiática entre os novos consumidores para analisar criticamente e sintetizar as informações para usá-las em suas vidas diárias responsabilizar a mídia por suas ações.

Estes elementos, juntamente com profissionais de mídia mantenedores dos mais altos padrões éticos e profissionais, servem como a infra-estrutura essencial para que a liberdade de expressão possa prevalecer. Nesta sentido, a mídia serve como um “cão de guarda”, a sociedade civil se envolve com autoridades e gestores políticos, a informação flui através de e entre as comunidades.

Liberdade de Informação

O combustível que alimenta este motor é a informação, portanto o acesso à informação é fundamental. As leis de Liberdade de informação, que permitem o acesso à informação pública são essenciais, mas são vários os meios que essa informação se propaga.

A informação pode mudar a maneira como vemos o mundo ao nosso redor, nosso lugar nele, e como ajustar nossas vidas, a fim de maximizar os benefícios disponíveis em torno de nossos recursos locais. A tomada de decisão apoiada em fatos pode alterar significativamente nossas perspectivas políticas, sociais e econômicas. Portanto, mídias abertas e pluralistas são, talvez, mais preciosas quando elas fornecem um espelho para a sociedade se ver. Estes momentos de reflexão são fundamentais na definição dos objetivos da comunidade, fazendo correções de curso quando a sociedade ou seus líderes perderam contato entre si ou se extraviaram do caminho correto.

O direito de acesso à informação pode ser interpretada dentro dos quadros legais que suportam a liberdade de informação como ela se aplica a informações detidas pelos órgãos públicos, ou no sentido abrangente do acesso e circulação de informações detidas por outros intervenientes, onde se torna intrinsecamente ligada à liberdade de expressão.

A liberdade de informação e a transparência que ela promove tem uma consequência direta na luta contra a corrupção, o que, por sua vez, tem um impacto real sobre o desenvolvimento. O ex-presidente do Banco Mundial James Wolfensohn frequentemente identifica a corrupção governamental como o principal obstáculo ao desenvolvimento e o setor de mídia independente como a ferramenta número um para combater a corrupção pública.

Liberdade de Imprensa e Governo

Assegurar a liberdade para a mídia ao redor do mundo é uma prioridade. As mídias independentes e pluralistas são livres para a boa governança nas democracias, jovens e velhas. A mídia livre:

  • Garante transparência, a responsabilidade e o Estado de Direito;
  • Promove a participação no discurso público e político, e
  • Contribui para o combate à pobreza.

Uma mídia independente recebe sua energia da comunidade e, em contrapartida, serve e capacita a comunidade para ser uma parceira de pleno direito no processo democrático.

A liberdade de informação e a liberdade de expressão são os princípios fundamentais para o debate informado e aberto. A nova tecnologia vai continuar a evoluir e permitir que os cidadãos promovam a forma de suas mídias, bem como o acesso a uma pluralidade de fontes. A combinação de acesso à informação e a participação do cidadão nos meios de comunicação só podem contribuir para uma maior sensação de posse e capacitação.

2011 em números:
66 Jornalistas Mortos
71 jornalistas sequestrados
1,044 Jornalistas Presos
1,959 Jornalistas atacados fisicamente ou ameaçados
499 censura da mídia
68 países sujeitos a censura na Internet
Fonte: Repórteres Sem Fronteiras

Mensagem Conjunta do Sr. Ban Ki-moon, Secretário-Geral das Nações Unidas e a Sra. Irina Bokova, Diretora-Geral da UNESCO, em ocasião do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, em 3 de maio de 2012.

“A Liberdade de expressão é um dos nossos direitos mais preciosos. É a base de todas as outras liberdades e é o fundamento da dignidade humana. A existência da mídia livre, independente e pluralista éessencial para realizar esse direito.
Essa é a mensagem do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. Liberdade de mídia significa liberdade de opinião e implica o direito de receber e transmitir informações e ideias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras, por qualquer meio de expressão, como previsto no artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Esta liberdade é essencial para a existência de uma sociedade saudável e dinâmica. As mudanças no mundo árabe têm demonstrado o poder de aspirações dos direitos quando se combinam os meios de comunicação antigos e novos. A liberdade dos meios de comunicação recentemente descoberta prenuncia uma transformação da sociedade através de uma maior transparência e prestação de contas. Está criando novas formas de comunicar e trocar informações e conhecimento. Novas vozes energéticas estão se juntando, especialmente o jovem, antes silencioso. Por esta razão o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa este ano está focado no tema “Novas Vozes: a liberdade da mídia ajuda a transformação das sociedades “A Liberdade dos meios de comunicação também se encontra com uma forte pressão em todo o mundo. No ano passado, a Unesco condenou o assassinato de 62 jornalistas mortos ao exercer suas profissões. Estes jornalistas não serão esquecidos e tais crimes não devem ficar impunes. À medida que aumenta o número de meios em linha também aumenta o número de jornalistas online, incluindo blogueiros, que são perseguidos, agredidos e mortos por seu trabalho. Eles devem receber a mesma proteção dos trabalhadores da mídia tradicional. Em 13 e 14 de Setembro 2011 foi realizada na UNESCO a primeira reunião inter-agências da ONU sobre a segurança de

jornalistas e da questão da impunidade. Nós desenvolvemos um plano de ação em torno do Sistema das Nações Unidas, a fim de criar um ambiente mais livre e seguro para os jornalistas e trabalhadores dos meios de comunicação ao redor do mundo. Ao mesmo tempo, continuaremos a fortalecer a base legal para a mídia: a comunicação livre, pluralista e independente, especialmente em países em mudança ou reconstrução após um conflito. Numa altura em que há muita informação, especialmente temos de ajudar os jovens a adquirir mais sentido crítico e competências básicas em matéria de mídia e comunicação. O Dia Mundial da Liberdade de Imprensa nos dá a oportunidade para levantar a bandeira da luta em defesa da liberdade dos meios de comunicação.Instamos os Estados, os profissionais de mídia, e ONGs de todo o mundo para unir forças com as Nações Unidas para promover a liberdade de expressão na Internet e em outros meios de comunicação de acordo com as normas internacionalmente acordadas. Elas são os pilares dos direitos individuais, a fundação de sociedades saudáveis e uma força de transformação social.”

Ban Ki-moon Bokova

Link Oficial

http://www.un.org/en/events/pressfreedomday/background.shtml