Dia dos Direitos Humanos 2011

Dia dos Direitos Humanos 2011

Este ano, milhões de pessoas decidiram que havia chegado a hora de reivindicar seus direitos.Elas foram às ruas e exigiram mudança. Muitos encontraram suas vozes usando a internet e mensagens instantâneas para informar, inspirar e mobilizar apoiantes para buscar seus direitos humanos básicos. Os meios de comunicação sociais ajudaram a organizar os movimentos ativistas e os protestos pacíficos em cidades de todo o mundo – de Tunis a Madrid, a partir de Cairo para Nova Iorque – às vezes em face da repressão violenta.

Os direitos humanos pertencem igualmente a cada um de nós e nos mantém juntos como uma comunidade global com os mesmos ideais e valores. Como uma comunidade global, nós compartilhamos um dia em comum: O dia dos Direitos Humanos em 10 de Dezembro, quando lembramos da criação, há 63 anos, da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

No Dia dos Direitos Humanos de 2011, prestamos homenagem a todos os defensores dos direitos humanos e pedimos a você que se envolva no movimento global de direitos humanos.

SOBRE O DIA DOS DIREITOS HUMANOS

A Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH) foi adotada em 10 de dezembro de 1948. A data serve, desde então, para marcar o Dia dos Direitos Humanos em todo o mundo. O Alto Comissário para os Direitos Humanos, como o principal oficial para os direitos humanos da ONU, e seu Gabinete desempenham um papel importante na coordenação dos esforços para a observância anual do Dia dos Direitos Humanos.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos

É a declaração mais importante dos direitos e liberdades de todos os seres humanos.
A Declaração aprovada pela Assembleia Geral da ONU em 1948, é composta por um preâmbulo e 30 artigos que estabelecem uma ampla gama de direitos humanos fundamentais e das liberdades a que todos os homens e mulheres, em todo o mundo, têm direito, sem qualquer distinção.

A Declaração foi elaborada por representantes de todas as regiões e tradições jurídicas. Ao longo do tempo, foi aceita como um contrato entre os governos e seus povos. Praticamente todos os estados a aceitaram. A Declaração também serviu como base para um sistema de expansão da proteção dos direitos humanos que hoje se concentra também em grupos vulneráveis, como pessoas com deficiência, povos indígenas e trabalhadores migrantes.

O documento mais universal no mundo
O Escritório do Alto Comissariado para os Direitos Humanos foi premiado com o Guinness World Record por ter recolhido, traduzido e divulgado a Declaração Universal dos Direitos Humanos em mais de 380 línguas e dialetos: de Abkhaz para Zulu. A Declaração Universal, é portanto, o documento mais traduzido – na verdade, o mais “universal” do mundo.

Mensagem do Secretário-Geral para o dia dos Direitos Humanos 2011

“Os direitos humanos pertencem a cada um de nós, sem exceção. Mas ao menos que nós os conheçamos, ao menos que nós exijamos que sejam respeitados, e ao menos que defendamos o nosso direito – e o direito dos outros – para exercê-los, eles serão apenas palavras em um documento com décadas de idade.

É por isso que, no Dia dos Direitos Humanos, fazemos mais do que celebrar a aprovação da Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 1948 – nós reconhecemos a sua importância duradoura para os nossos tempos.

A importância dos direitos humanos foi destacada uma e outra vez este ano. Em todo o mundo, as pessoas estiveram mobilizadas para exigir justiça, dignidade, igualdade, participação – os direitos consagrados na Declaração Universal.

Muitos destes manifestantes pacíficos perseveraram, apesar de serem recebidos com violência e repressão. Em alguns países, a luta continua, em outros, importantes concessões foram adquiridas ou ditadores foram derrubados conforme a vontade do povo prevaleceu.

Muitas das pessoas que procuram as suas legítimas aspirações estavam ligados através da mídia social. Longe vão os dias em que governos repressivos poderiam controlar totalmente o fluxo de informações. Hoje, dentro de suas obrigações existentes de respeitar os direitos de liberdade de reunião e de expressão, os governos não devem bloquear o acesso à internet e várias formas de mídia social como uma forma de evitar a crítica e o debate público.

No entanto, no final de um ano extraordinário para os direitos humanos, vamos reenforçar as realizações de 2011: novas transições democráticas postas em movimento, novas medidas para garantir a responsabilização por crimes de guerra e crimes contra a humanidade, uma nova e ampliada consciência e difusão dos direitos si mesmos.

Ao olharmos para os desafios futuros, vamos inspirar-nos no exemplo de ativistas de direitos humanos e do poder atemporal da Declaração Universal, e fazer o máximo para defender os ideais e aspirações que falam por cada cultura e cada pessoa.”

Ban Ki-moon

Página Oficial:

http://www.un.org/en/events/humanrightsday/2011/index.shtml

Anúncios

Replique

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s